Como Abrir uma Franquia de Sorveteria

sorveteria

Com uma franquia de sorveteria, é possível obter bons lucros, mas alguns cuidados são necessários.

O Brasil ainda é um consumidor de sorvetes bastante discreto: são 4,7 litros por habitante/ ano. Enquanto isto, cada neozelandês delicia-se com 26,3 litros anualmente. Para quem quer abrir uma franquia de sorveteria, no entanto, isto não é motivo para desânimo: significa apenas que o mercado nacional tem muito espaço para crescer, principalmente considerando que somos um país tropical (na maioria do território).

Como Abrir uma Franquia de Sorveteria

O sorvete é visto como uma sobremesa refrescante e, por isto, reservado aos dias quentes. Este é o principal ponto a ser considerado por quem quer empreender e abrir uma franquia de sorveteria: a sazonalidade. Com o negócio montado, é preciso investir os lucros obtidos no verão para os períodos mais frios. Esta regra, é claro, não se aplica para as regiões Norte e Nordeste, onde a diferença das estações se resume a chuva e seca.

Seja como for, as sorveterias – especialmente as franqueadoras, que possuem as maiores redes do país – estão investindo pesado na propaganda do consumo da iguaria também no frio; afinal, o sorvete é um alimento altamente calórico e pode fornecer a energia extra, necessária no inverno.

Opções de Franquias de Sorveteria

As franquias de sorveteria que mais crescem no país são a Jundiá, Chiquinho Sorvetes, Cold Stone Creamery (americana), Freddo (argentina), Ice Mellow (parceira da Kibon, o que aumenta a credibilidade da marca), Sanduka, Sorvete Itália e Taperebá Sorvetes.

Ao todo, o mercado de sorvetes movimenta R$ 350 milhões por ano. De acordo com a Associação Brasileira de Franquias (ABF), das 18 marcas comercializadas no país, dez migraram para o sistema de franquias.

O investimento inicial, no entanto, é bastante alto, considerando taxa de franquia, aluguel do ponto de venda, contratação de pessoal, etc.: não sai por menos de R$ 100 mil.

Quem tem pouco dinheiro para investir, mas quer atuar neste nicho de mercado, pode optar pelas máquinas de sorvete expresso (uma espécie de fast food dos sorvetes). Não se trata, porém, de uma franquia. O empreendedor compra os equipamentos (entre R$ 12 mil e R$ 30 mil) e negocia o ponto de venda (em geral, na entrada de bares e sorvetes). Mesmo assim, neste caso, é possível contar com estrutura de propaganda, já que as máquinas estão vinculadas a determinadas marcas.

Qual o Melhor Ponto para esse tipo de Franquia

Para instalar uma franquia de sorveteria, é preciso escolher muito bem o ponto de venda. Locais movimentados, como ruas comerciais ou próximas a escolas e universidades sempre atraem novos clientes. Um dos principais problemas da franquia é que não se pode inovar: é preciso seguir as receitas definidas pela franqueadora.

No caso de instalação perto de escolas, é preciso ter em mente que o movimento vai registrar uma queda considerável nos meses de férias e, portanto, é preciso definir estratégias de marketing para atrair novos públicos. Isto, no entanto, geralmente fica a cargo da franqueadora.

Dicas e Pontos Importantes

O sorvete é um alimento perecível; portanto, é preciso muito cuidado para seguir atentamente as regras definidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Também é necessário equipar a sorveteria com todos os itens previstos no contrato de franquia, caso estes não sejam cedidos.

O ponto de venda deve ser dotado de pias na cozinha, o salão deve ser atraente; o padrão também e definido pela franqueadora, mas sempre é possível aliar alguns diferenciais, como um espaço para crianças, ou uma juke box, se o público alvo for composto de adolescentes e jovens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *